[.:LINKS:.] [..PROJETO..]   [..FOTOGRAFIA..]  [..AUDIOVISUAL..]

Águas do Iguaçu

Diante de nossos olhos seca o Rio Iguaçu, mas estão todos ocupados demais. Trabalham demais, consumem demais, vêem TV demais. Quem tem tempo pra esse negócio de rio?

Para ir de Porto Amazonas à São Mateus do Sul, seu Raul não pensa duas vezes. Vai de barco, mas não sem a companhia do seu camarada, o Zé. “Bem melhor que de carro. A gente vai no ritmo da prosa, da pesca, vendo as árvores”, argumenta Raul. O Zé acena com a cabeça, mas lembra o amigo que antes iam de barco, hoje tem que ser de bote a remo.

– De primeiro o rio era bem largo e fundo. Não judiado como tá agora, quase sem água. Tem lugar aí que o bote fica enroscado.

– Lembra de criança Zé, brincadeira era tudo nesse rio aí. Até competia pra ver quem tomava mais banho. Hoje se pula, racha a cabeça.





Raul Scarante está com 56, seu amigo José Gonçalves já chegou aos 65. Se conhecem desde criança. Para esses dois, que nasceram em Porto Amazonas - marco zero da navegação pluvial do rio - o tal Iguaçu é mais que rio, é parente da família.

O Rio Iguaçu é o próprio motivo para que se erguesse ali, no umbigo do Paraná, o pequeno município de Porto Amazonas. Daquele glamour dos anos 50 sobrou nostalgia, e um ar decadente próprio da contemporaneidade. O curioso prédio da prefeitura, em forma de barco, exalta o que desaparece diante dos olhos de seus cidadãos: O rio.

Assim que Raul e Zé perceberam que alguma coisa estava errada, começaram a tratar do irmão. Cultivam e plantam dezenas de mudas nativas nas margens. Lutam contra o assoriamento, mas repor mata ciliar é pouco diante da situação. A drenagem dos terrenos alagados, próximos ou não do rio, eliminou um importante mecanismo para manutenção do nível e curso das águas durante períodos de estiagem: a várzea.

Sem aqueles veios d'água que brotavam ao longo de todo o rio, hoje quando chove o nível sobe e desce, de forma rápida e sem aviso. A água que desce arranca as árvores mais jovens da mata ciliar, como as que Raul e José plantam. Ao longo das margens assoriadas, dezenas de raizes viradas dão mais dramaticidade ao desaparecimento do rio.

– A gente fica triste, preocupado mesmo em ver o rio assim. É como se avisasse que tá morrendo, como se chorasse umas lágrima amarga, de dor mesmo, diz Raul.

Para mostrar que é verdade, Raul e José nos levam num passeio em sua balsa. O nível d’água é tão baixo que da margem do cais – o tal marco zero da navegação fluvial do Rio Iguaçu – não é possível ver a embarcação. “Será que a balsa não tá aí”, brinca Raul. Descemos uma trilha até encontrar o ralo nível da água. Vara de pesca em punho, um homem atravessa para o outro lado. Não molha além da cintura.


– Boa coisa ser uma balsa, aí não precisa muita água. Dá pra navega com até 60 cm de profundidade. Menos enrosca o leme.

O barco Novo Horizonte é uma balsa, com 20 lugares bastante confortáveis. Raul a construiu com as próprias mãos. Usa a balsa para desvendar as entranhas do Rio Iguaçu. Mostra aos outros o rio que vê com seus olhos, afeto e preocupação.

O passeio se limita às redondezas do cais. Dez minutos rio abaixo e chega-se a um ponto intransitável. Lastimável, para os dois que cresceram vendo grandes balsas levarem erva-mate rio abaixo. A planta era vendida em cidades como São Mateus do Sul, União da Vitória. Depois seguia até Antônina. Dos tempos áureos, resta apenas a memória de uma foto na cabine.


7 Comments:

At 11:08 AM, Anonymous Anônimo said...

PERSONAGENS DESSE IGUAÇUZÃO TÊM MUITA HISTÓRIA PRA CONTAR...

www.uniblog.com.br/macuco

 
At 10:09 PM, Blogger Daniel Caron said...

Valeu Wagner! O seu blog é muito bom também. Grande abraço.

 
At 7:51 PM, Blogger Dann Ferreira said...

CARA SEU BLOG É APAVORANTE..MTOO SHOW DE BOLA.. MTOO COMPLETO.. INFORMATIVO E DIFERENTE NO QUESITO LAYOUT.. SHOW MESMO.. PARABÉNS..

GOSTARIA DE SABER COMO VC FEZ PRA COLOCAR O LINK (PARTE SUPERIOR)ONDE TEM ENTRADA PARA OUTROS BLOGS SEU TAL. QUERIA MONTAR UMA GALERIA DE FOTOS NO MEU... TEM COMO ME AJUDAR???

OBRIGADO DESDE JÁ.
E DESCULPE A INVASÃO AÍ..

DANILO FERREIRA
(WWW.O-DIARIU.BLOGSPOT.COM)

 
At 8:11 PM, Blogger Daniel Caron said...

Nada Danilo. Muito bom seu blog também. Vou linka-lo já!

 
At 3:05 PM, Blogger charles.steuck said...

Muito bacana - e divertido este tópico. Gostei mto desta última foto aí... Abraço!

 
At 11:48 AM, Blogger wilson said...

Parabens Daniel Caron pela iniciativa de denunciar as atrocidades cometidas pelas sociedades contra esse que vem a ser o maior e um dos mais importante rios do Paraná
www.onca-kuahary.blogspot.com

 
At 7:26 AM, Anonymous Anônimo said...

Sim, provavelmente por isso e

 

Postar um comentário

<< orodamundo.com